Carnaval de Loulé – 1974 e 2009


img1551

cartaz_carnaval_2009http://i170.photobucket.com/albums/u271/margemdois/?action=view&current=Carnavalde1974_2-mpeg1.flv

Agradecimentos ao Adão Contreiras e ao Helder Raimundo por este filmezinho de grande valor histórico e comparativo.

Bem podemos, 35 anos passados, estabelecer diferenças… muitas, com 2009 e pensar na próxima geração que o realizará!

dsc00009

Engordar a Banca...

Sendo indispensável na animação anual de Loulé devemos colaborar na constante modernização e qualidade estética do Carnaval…

Com mais envolvimento da juventude e de associações culturais, mais independência e diversidade. A qualidade técnica é já indiscutível, havendo que investir em plataformas rolantes, que sendo mais leves, dispensarão veículos tão volumosos (preferencialmente eléctricos) que não interfiram tanto na visão das decorações alegóricas!

As mensagens que se veículam,  podem ter um conteúdo mais local, de proclamação e escárnio, não apenas nacional e relativas ao Governo.

O nosso Carnaval pode ser mais livre e menos institucional!

17 comentários

Filed under gente, Loulé

17 responses to “Carnaval de Loulé – 1974 e 2009

  1. Como pode este Evento anual contribuir para a redução do emprego no Concelho?
    Será possível “desenhar” um Carnaval baseado nos recursos locais e com ele envolver empresas instaladas?
    Poderá criar-se um “modelo” louletano de Corso, com músicas e letras próprias?
    Haverá “criativos” localmente que possam garantir a “renovação”?
    Espero para saber o que me dirá, amanhã, o Luís Furtado sobre estas questões… e depois aqui vos direi o que apurar!

  2. O QuarteiraXXI atribui o prémio “Olha que Blog Maneiro” ao blog Ssebastião.

    Abraço,
    João Santos

  3. Obrigado João… já és o quinto!
    O teu recanto merece uma referência aqui, isso farei em breve, realçando os seus/teus pontos fortes… entretanto, escreve-se e comenta-se Loulé e isso é que interessa!

  4. Carnavaleiro

    Um dia sem frio nem calor ajudou a uma boa assistência. Os carros a meu ver parecem estar a encolher. E agora com a facilidade que há em fazer grandes bonecos passou-se a colocar flores à roda dos carros e colocar lá o boneco em cima. É pouco. Não deviam caír nesse estratagema. Não há dúvida que os bonecos são bem feitos dado os materiais que hoje existem ( o que é bom ) . Mas os carros estão nus. Só viu um ou outro carro florido como antigamente. E este Carnaval era conhecido precisamente por ter os carros todos floridos. É mais fácila assim. Compreendo. Mas com o dinheiro que há hoje e a rodos acho que deviam pensar na questão. Carnavaleiro

  5. Algarvio

    Professor sabe-me dizer se a televisão veio de borla ou foi a paguites. É que já me deram várias versões. Mas como em Loulé nunca ninguém é informado de coisa nenhuma ,apenas se faz propaganda atrás de propaganda…

  6. Sola

    Estive a ver um pouco da transmissão na televisão e não gostei muito. Pareceu-me uma grande salganhada. E depois fiquei surpreendido com o Snr. Joaquim Guerreiro o homem da CMLoulé encarregado das festas. É que ele falava à uso de Lisboa ?????? Aquela pronuncia das Avenidas Novas. Mas ele não é da serrania de Loulé ? Não tem mal nenhum ser de lá. Mas é preciso falar-se com o sotaque de Lisboa ? Temos mais categoria por ter um camarário laranja falando à Lisboeta ? É que reparei e fez-me confusão. Sola

  7. Sousa

    O Sola tem razão. Para lá do Snr. Joaquim Guerreiro da Câmara há mais gente que quando fala para grupos de pessoas colocam a pronúncia made in Lisbon. Dá-lhes mais cagancite. Mas por vezes torna-se ridículo. Porque não mantermos a pronúncia das nossas terras ? A de Lisboa é que está certa ?

  8. Meus caros; venham lá essas opiniões sobre as evoluções havidas e a realizar no nosso Carnaval!

  9. Dia

    Acho bem que os louletanos discutam o s eu carnaval. Seria quase impossível apesar de hoje haver mais meios do que antigamente , de colocar as pessoas ou Associações a fazerem os carros. A não ser que passassem pela palmatória, riso- senão apareceriam grandes mamarrachos. Mas é preciso que a malta nova de Loulé ame o seu carnaval como os de antigamente. É certo que antigamente nao havia nada para lá do carnaval ou algum baile ou outro. Hoje a malta tem mil e um chamamentos. Mas há sempre quem tenha o seu interesse. Sobre a batuta de quem sabe será que não haveria gente por aí capaz de mostrar a sua arte e as suas ideias ? Dia a Dia (Deus melhora) O Carnaval é mais dificil.

  10. Anónimo

    Espectaculo, agora até a pronuncia já se critica… Só mesmo em tempos de carnavais para a malta rir! Repararam nos penteados, de que zona do país seriam?

  11. Dia

    Amigo anónimo acha que também não se pode criticar o facto de um rapaz do campo falar à uso dos pasteis de Belém ? Eu por exemplo que nasci para os lados de Alte tenho muito gosto em falar com a pronúncia daqueles lados. Há muito parolo que me tem criticado dizendo que eu já tinha tempo de ter deixado de falar à uso do monte. A malta do Norte por exemplo alguém a ouve falar à uso de Lisboa ? Ou de outra zona qualquer ? Esses não têm vergonha de assumir de onde são. Porque temos nós de ter vergonha da pronúncia da terra que nos viu nascer ? Vergonha é renunciar a ela. Veja lá se os Vitorinos lá do Redondo falam à lisboeta ? E há quantos anos estão em Lisboa ? Se você tem vontade de rir por isto ria à vontade mas o Carnaval teve coisas melhores para rir. Aliás tem sempre. São os genuínos aqueles que às vezes não os deixam entrar lá dentro. Dia

  12. suco

    Eis aqui um assunto que poderia ser tratado nos carnavais. Os regimes que oprimiram os povos não foram só os da Direita . Dieter Dellinger, A crise actual e os Ciclos de Kondratieff:

    “No passado mês de Setembro fez 70 anos que o regime comunista de Moscovo assassinou um dos grandes génios do Século XX. Trata-se do economista Nikolai Dmytriyevich Kondratieff, executado numa prisão de Moscovo em 1938 após oito anos de tortura e prisão, o que envergonha todos os marxistas.

    A Kondradieff se deve a descoberta dos ciclos longos. Para o efeito, estudou as variações nos mercados do carvão e aço e a sua ligação com as fases em que se produzem inventos e as em que estes são aproveitados nas novas técnicas.”

  13. alex

    Quem tem vergonha da pronuncia da sua terra não deveria estar envolvido na tentativa de a melhorar mas sim a trabalhar lá para os lados da captali, lá é que eles estavam todos bem, longe da vista e das asneiras que fazem.
    Falando do Carnaval, fraquito… sem sal…sem alegria…com pouca cerveja e muitos seguranças com cara de maus. Com figurões destes à frente da festa e com os carros cada vez menos à nossa maneira e mais à maneira de quem lhe convir… bolas, é melhor mascarar-me e tentar diversão noutro lado…

  14. António Piçarra

    ” O CARNAVAL MAIS PORTUGUÊS de PORTUGAL…” é um dos slogans mais utilizado quando se tenta promover o Carnaval de Loulé. Apesar de se tratar de um evento centenário, urge repensar os moldes em que esta FESTA se está a realizar. O Carnaval de Loulé que conheci nas décadas de 60 e 70, nada tem a ver com aquilo que hoje se apresenta na “mutilada” Av. José da Costa Mealha.
    Não faz sentido “copiar” caracteristicas cariocas que, do lado de lá do Atlãntico, fazem todo o sentido; mas que no “nosso cantinho” apenas revelam falta de imaginação e mau gosto de quem organiza o desfile.
    Porque não substituir o samba pela música tradicional portuguesa?
    Porque não substituir as mamocas e os rabinhos das brazileiras pelos esculturais “traços” das nossas moças, ainda que cobertos pelos trajes que caracterizam este povo?
    Porque não subsidiar pessoas e grupos organizados que apresentem ideias divertidas para o desfile carnavalesco?
    Pretendemos um desfile de ARTE apresentada sobre chassis puxados por tratores ou ambicionamos motivos que, verdadeiramente, nos divirtam e nos façam esquecer as amarguras da vida?
    Porque não “casar” a nossa gastronomia com esta Festa do Povo? Cerveja e cachorros existem em qualquer parte do Mundo!..
    Os louletanos precisam de ser incentivados a participar e colaborar activamente neste evento. O Carnaval de Loulé tem de ser o Carnaval dos louletanos, o Carnaval do Povo. Quem nos visita quer conhecer as nossas gentes, o nosso sentido de humor, a nossa alegria, as nossas tradições.
    Quando aceitarem as minhas sugestões e outras alicerçadas neste conceito Louletano e Tradicionalista, teremos o tal…..CARNAVAL MAIS PORTUGUÊS de PORTUGAL!…

  15. Ora eis que, finalmente, aparecem ideias concretas!
    Concordo com as opiniões do António… e penso que, apesar do “peso bruto” colocado em cima dos carros, deve ser possível ser moderno e responsável com o ambiente e no uso da energia que é consumida no desfile.
    Ninguém o disse, então digo eu: Acho vergonhosa a inclusão do carro de petiscos e bebedeiras, seja ele da ATAL ou da Associação de Caçadores, é algo dissonante e mal entendido pelos forasteiros que levarão a ideia de um grupo de devassos, para mais, não é permitido comer no recento, nem beber além dos quiosques!

  16. JONY BOY

    Relativamente a esse organizador de festas, tem a mania que é culto, mas nem escrever sabe, quase nem falar. Aquele sotaque forçado de Lisboeta é treinado à noite. Como homem não vale nada só tem é ambição politica pois sem isso onde estaria ele????

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s