Cravo para a Lágrima!



A quase completa ausência de forjas, nas oficinas de serralheiro e também nas escolas de ensino técnico e profissional, dificulta a produção de réplicas de ferro forjado e também a fundição de metais… a rebarbadora é a solução.

A maquinagem de um vergalhão de ferro de 16 mm foi a actividade do escriba deste blog no dia de ontem (conforme as imagens documentam), coisa pouca mas de alcance patrimonial elevado por permitir a conclusão do restauro de uma centenária alfaia da Igreja Matriz de Loulé cujo reaparecimento público a muitos irá agradar.

Destina-se esta nota pessoal a responder a quem pergunta: “O que faz quem critica?” Fiz um “cravo”, não me crucifique! Quem dá seu tempo e saber em proveito colectivo confia no seu semelhante e espera dele outro tanto.

24 comentários

Filed under Arte, Blogosfera, Ensino, Loulé, Oposição, ssebastiao

24 responses to “Cravo para a Lágrima!

  1. pouquinho

    deu uma no cravo outra na ferradura

  2. Jota

    As pequenas obras incentivam a grandes obras. As pequenas chagas, quando caem no desleixo, dão mais dia menos dia em grandes chagas, depois óh da guarda, é vê-los a sacudir a água do capote.

  3. Não posso deixar de reforçar os apoios ao Almeida e expressar com desagrado a presença constante de uma lágrima não identificada que armada de intenções intelectualizantes em nada tem contribuido para a dignificação da dignidade deste blogue. Uma boa sugestão. Identifique-se e crie o seu blogue. Não perca tanto tempo a provocar os outros.
    João Martins

  4. Telmito

    Tenha um prego sempre à mão para que o possa utilizar em certos toscos que por aqui aparecem às vezes, com o intuito de crucificar quem não alinha com eles na sua saga de bem servir a cavalo ou mesmo a pé.

  5. José

    Diga-nos Professor que peça é essa que descobriu e de que era é.

  6. Lagrima

    Tenha uma boa semana Sr. Almeida. Obrigado pelo cravo. Espero que continue a contribuir com pequenas obras para o bem comum. É bem mais gratificante do que dizer mal por dizer. Como anterior candidato à Junta de Freguesia de S. Sebastião e pessoa activa em termos políticos considero que não faz nada demais em ajudar o povo e o património. Nesse sentido tem e terá sempre o meu apoio. Para denegrir os demais é que NUNCA poderá contar com ele. Bem haja.

  7. Meu caro José; omiti deliberadamente que o cravo (ou prego) em questão vai ocupar o lugar daquele que falta há muitos anos no crucifixo do Altar-Mor da Igreja Matriz que tem estado em trabalhos de restauro.
    O prego que me foi pedido vai ser entregue amanhã e apenas me lembrei dele para enviar uma resposta a alguém que proferiu insinuações gravosas para a minha pessoa. Entendendo essa pessoa que se deve exigir provas de dedicação aos cidadãos que se equivalham com as funções, por todos remuneradas, dos titulares dos orgãos executivos; talvez para lhes conferir, então, o direito de criticar os actos e omissões desses eleitos em funções executivas!!!

  8. Lagrima; cumpri o prometido, revelei-lhe um pouquinho mais de mim e daquilo que faço. São pequenas obras sim, à medida do meu escasso saber e dos meu paupérrimos recursos humanos e monetários… pequenas coisas de facto, feitas com amor, sem notoriedade comparável à leitura de homilias na Missa de Domingo (que lerei se a ocasião o favorecer e o celebrante mo pedir, sem me engasgar e com convicção), mas com muito mais presença temporal e respeito pelo património colectivo.
    Hominis Dignitate, minha cara!

  9. Lagrima

    Sr. Almeida sabe que eu não sou de missas pois já referi que sou ateia a 100 %, contudo, até prezo o seu altruísmo. Sou louletana de gema e, embora ainda seja uma jovem adulta, amo a minha cidade e sinto-me nela desde sempre. Tudo aquilo que possam fazer para engrandecer esta terra é por mim louvado. Se, por vezes, sou brusca nos comentários que aqui faço é porque sinto que são muitos a criticar pelas mais variadíssimas razões, excepto o bem de Loulé. Quando queremos construir algo maior não lhe devemos minar constantemente a base. A Hominis Dignitate passa acima de tudo pela defesa do ponto de vista respeitando o alheio. Eu respeito todas as perspectivas mas devem deixar-me também ter a minha e expô-la educadamente como sempre faço. O repto que lhe fiz não foi no sentido de o ofender na sua dignidade mas tão só de chama-lo a mostrar exactamente o que o Sr. Almeida faz pela cidade. Lembre-se que como eu desconheço essas acções talvez a maioria as desconheça também. Acredito que o Sr. faz o melhor que pode e sabe mas dá-me a sensação que se perde em aspectos muitas vezes importantes mas que em termos resolutivos em nada melhoram a cidade e a vida das pessoas. Não quer dizer que o faça sempre. Espero que compreenda a minha visão. Boa semana. Carpe Noctem.

  10. Menina

    Para a Lágrima = As palavras permitiram elevar-nos acima dos animais; mas é também pelas palavras que não raro descemos ao nível de seres demoníacos. (Aldous Huxley)

  11. Luís Furtado

    Viva Almeida, respondo no teu blog por achar ser mais rápido. O quadro de S. Sebastião é para regressar ao Atelier, nem acabado está.

  12. Luís; foi o Óscar que perguntou, por certo a Directora saberá, amanhã esclarecerei isso quando recolher as duas telas dos Andrade.

  13. Carlita

    Boa noite.

    Eu já tinha avisado há dias mas fiquei com a sensação que o Prof. Almeida fez “ouvidos de mercador”.

    Pela categoria da prosa, seria previsível que mais dia, menos dia, aquela verborreia traduzida numa escrita que insulta o Camões, haveria de descambar sobre a sua pessoa.

    A soberba e o cinismo cheiro-os à distância e mesmo aqui no meu cadeirão, tresandavam desde o momento da “aparição” da personagem.

    Desculpe este meu desabafo mas não o incomodo mais.

    Cumprimentos.

    Carlita

  14. George

    Por onde andará a saudosa Camilinha? Alguém a viu por aí? Volta mulher. Não estás perdoada porque nada fizeste de mal à tua terra. Mas sentimos todos a tua falta. Pelo menos diz qualquer coisa. Será que estava sob escuta e levaram-na por ter comprado algumas cuecas na sucata lá em baixo?

  15. Lagrima

    Carpe Diem. Volto a sublinhar que só deixarei de frequentar este blog quando o seu administrador me pedir para o fazer. Portanto, lamento pelos incomodados, pelo menos pela pequena percentagem que percebe o que eu escrevo. Na verdade, a maioria apenas se incomoda com a quantidade do que escrevo e com uma ou duas palavritas que tira do conjunto. Se algo envergonha Camões é as barbaridades que se escrevem usando a sua língua da pior forma e este blog não é excepção. Mas de certo não estamos aqui para discutir ortografia e gramática, para ser sincera, acho que não estamos aqui para discutir o que quer que seja. O que se pretende é simplesmente que cada um opine sobre um certo assunto e não percebo porque é que uns se limitam a comentar a opinião dos outros quando deviam comentar os posts. Realmente é uma ignorância minha. As frustrações de cada um não deviam ter aqui um palco mas o Sr. Almeida lá sabe a quem deve dar ouvidos. Saibam que não responderei a mais nenhum insulto pois “Injuriarum remedium est oblivio” ( = a maior vingança é o desprezo) e sem querer vingar-me de ninguém desprezo comentários sem qualidade e que só visam o ataque pessoal. Aplica-se aqui a máxima “Dementis convitia nihil facias” (= A palavras loucas, orelhas moucas). Sr. Almeida continuará a contar comigo como comentadora das “peças” por si escolhidas, quanto ao resto, os outros que se entretenham com as suas equídeas ninharias. Boa semana para todos.

  16. Boa semana, cara amiga! Para mais teremos amanhã a celebração da Reconquista da Independência no remoto 1640, um Feriado! Efeméride que poucos recordam e direito que pouco se valoriza… tristemente hoje.
    Concordo que muitos, por aqui, fogem do tema e derivam para as “picadelas” ou vizinho, mas isso não é exclusivo do “sebastião” encontra-se por todo o lado – está na pele dos portugueses.
    Vamos tratar de encontrar um enquadramento para a efeméride de amanhã, não deixe de opinar!

  17. Vivinho da Silva

    O Dia 1º de Dezembro deixou de ter sentido para os portugueses. Há tanta coisa com que se preocuparem que se esqueceram desta data.
    Parece-me que neste momento são os espanhóis quem mais festeja.
    E o que festejam eles? festejam o dia em que se viram livres dos portugueses.
    Agora um pouco mais a sério. Competia ás entidades públicas assinalar tão importante data para Portugal.
    Afinal houve bravos portugueses que travaram essa luta para sermos bem ou mal este lindo cantinho.

  18. George

    Há mais cravos espetados por aí. Espalhados por todo o lado, basta estar atento. Até em Belém. Incomodado pelas crítica à sua ausência na homenagem a Melo Antunes o nosso desastrado Presidente da República sentiu-se na obrigação de se justificar e fê-lo de forma ridícula, leio no Correio da Manhã que o “Presidente esclareceu ontem que quis estar presente na homenagem a Melo Antunes, mas a organização do evento falhou a audiência para acertar a sua presença”.

    Isto é, como houve um qualquer problema com uma audiência que não se sabe bem com quem era, o Presidente, apesar de querer estar presente, e a sua Casa Civil borrifaram-se no assunto. Uma presidência que consegue marcar tantos cafés com jornalistas não consegue combinar a ida do Presidente a uma cerimónia em que ele próprio queria estar presente?

    Já vi melhores desculpas. Bem, também já vi Cavaco Silva em muito melhor forma do que este que se arrastará até ao fim do mandato.

  19. Beja

    Essa desculpa é uma desculpa à terceiro mundo. Ainda há grandes assessores no Planeta!

  20. INRI

    A critica não ensina a reparar nem repara obras de arte, se assim fosse já o crucifixo estava no altar.
    SATOR
    AREPO
    TENET
    OPERA
    ROTAS

  21. INRI; traz-nos o “Quadrado Mágico” ao debate em que o Latim tem abundado.
    Para que seja entendível o significado fica aqui um vídeo!

  22. balanço

    Prof. Almeida, era interessante dois mesinhos após as eleições autarquicas fazer um balanço sobre o papel da nova oposição em loulé, que papel preponderante tem tido Joaquim Vairinhos na oposição? Onde anda esse grande estratega politico Hugo Nunes? Desculpe o assunto não ter nada que ver com o post, mas é que assistimos e lemos tanta coisa por aqui antes das eleições e agora, parece que muita gente se esqueceu do que disse! E já agora, uma vez que você fez parte da maquina suxa nas ultimas autarquicas, mande la a empresa que contrataram retirar os cartazes do JV que continuam espalhados pelo concelho… ou será que mesmo após as eleições não perceberam a mensagem? Abraço e bem haja!

  23. INRI

    Sr Almeida; o PAPO´SECO desertou, não percebia nada de lata, desculpem latim, e o IRNI é uma graça até sabe de mais em “dois LL” o 1º à louletano o 2º à latim. Adoptio naturam imitatur. Lagrimas, Nada vem do nada — De nihilo nihil. Aequiparat factum nobile velle bonum. Fiquem bem até ao corte de estrada!

  24. INRI; perdoará mas achei que seria interessante deixar a todos a “faculdade” de usar o Latim…
    Será um Serviço Público Cultural do “sebastião”; eis pois uma magnífica coletânea de citações em Latim> http://www.filologia.org.br/revista/artigo/4(12)54-76.html
    e… Depois de si virá quem de si falará, estou certo disso!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s