Varina e Tricana!


Ocasionalmente trocámos a ordem do título do post que haveria de ser: “Drogaria Lys: Desmontagem#3, mas as figuras populares que o atropelaram bem o merecem.

Em tempos da Exposição do Mundo Português, do Mercado da Primavera e do investimento no Folclore, foi feita até à exaustão, a promoção das especificidades regionais. Muitas delas, por serem artificialmente mantidas e terem caído em desuso, hoje foram esquecidas… Esquecido foi também o papel de carta e seu envelope, obdecendo a códigos de ética e moral muito rigorosos e claros. Era, então, o acto de escrever um momento de solenidade que obedecia a rituais e apelava à sensibilidade de quem escrevia na esperança de transmitir as emoções vividas ao sabor da escrita. Nem telefone ou televisão existia que transmitissem pungentemente os amores e sofrimentos que as cartas continham (nem tal se sonhava pudesse existir)… Escrevíamos o melhor que podíamos e pronto! A “Tricana” e a “Varina“, coimbrã a primeira e alfacinha a segunda, ilustravam caixas que continham o papel cujas linhas o aparo havia de rasgar ao sabor dos relatos, compromissos e proclamações com alma e sentimento em nada semelhantes aos escritos infológicos de hoje!!

E os selos? Bem, a criança coleccionadora de hoje muito pode penar para os encontrar, são uma raridade… Eu tive sorte, escreveu-me há dias da Rússia o Igor Gatselyuk  e a carta chagada hoje contém 3 diferentes e outros 3 para “trocas”…

Bom, adeuzinho, vou ler o que me diz o amigo ortodoxo russo do seu Natal, lá festejado no nosso Dias de Reis!

3 comentários

Filed under ssebastiao

3 responses to “Varina e Tricana!

  1. Hoje soubemos, quase de imediato, do terramoto no Haiti, da queda de um imóvel devoluto na Roncha e saberão de muito mais que hoje ocorreu.
    Tempos houve em que só “na volta do correio” se sabiam as notícias. Assim, quando desejávamos fazer algo, já a oportunidade tinha passado.
    É sobre esta diferente velocidade e, também, sobre a maior distância aparente em que vivemos hoje que se aguarda que se produza o debate. Participem!

  2. Carlão

    Também soube hoje que o custo da diabetes em Portugal, mil milhões de euros, o que representa uma fatia de 7 por cento das despesas com a saúde. É um número
    exorbitante. E o número de doentes não param de aumentar. Todos temos de passar a controlar melhor a gula. Ainda falam em crise. Há por aí gente aos montes a comer e a abusar da comida.

  3. selman

    Parece um país de gente que não comia há centenas de anos. Bolas. Com o que se gasta.
    Só em internamentos, gastaram-se em 2008, quase 400 milhões de euros, ou seja, um aumento de 85% em relação ao ano 2000. Está tudo maluco? É necessário pôr cobro a isto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s