Melhor seria não ter votado!


o actual 1º enquanto jovem! Digitalização de Imprensa recebida por email

Damos “de barato” que, com ou sem “maioria absoluta”, o Governo resultante das últimas Eleições Legislativas prosseguiria aquilo que demonstrou saber fazer: Emagrecer os magros salários dos portugueses que vivem do seu trabalho!

Pois, com medo de perder investimento produtivo, nunca atingiu os obscuros interesses do “sindicato” financeiro, antes deixou que prosperasse e lucrasse como nunca aconteceu. Concedendo-lhe, em forma de garantia de risco e em transferência directa, compensações dos próprios desvarios…

Para se manter, negociou um Orçamento que volta a não tocar na Finança e escraviza o Trabalho. Se é isto que nos obrigam a pagar para suportar um Mau Governo é Melhor que ele Caia já!

Desculpem, mas na verdade, os eleitores votaram e a expressão do seu voto não foi esta!

28 comentários

Filed under Cidadania, Eleições, gente, Opinião, Política Nacional

28 responses to “Melhor seria não ter votado!

  1. José Lúcio Branco

    Traição – Para os portugueses que votaram nesse senhor.
    Roubo – A todos os que trabalham dia a dia e descontam que se fartam.
    Paraíso – Para os senhores e senhoras que estão instalados naquela catedral (Assembleia da República, daí ser um roubo não de igreja mas de catedaral), vivem às nossas custas e defendem-nos desta maneira.
    Atente-se nos seus ordenados.
    Vergonhoso o que se passa com os subsídios de alguns deputados.
    Escandalosas as reformas auferidas sem nada terem feito por este País.
    Quem sempre descontou reforma-se com uns miseros tostões.
    Triste aquilo que vejo todos os dias ao lado do meu local de trabalho, casais jovens com filhos, ambos desempregados, a chorar por um mísero subsídio para dar de comer aos filhos.
    Pedem pelo menos para os filhos, já nem se preocupam com o que eles próprios sofrem.
    Não é este Portugal que nós queremos mas que temos que gramar graças a esses senhores que alguns portugueses elegeram e que agora estão arrependidos. Não critico isso pois em alguém se teria que votar.
    A mim preocupa-me sim a miséria a que isto chegou.
    As despesas deles e as altas reformas não são reduzidas porque?
    Enfim triste este Portugal, mas é o nosso e acredito que um dia mudará.
    Não acredito que seja com cravos mas mudará.
    Ainda somos portugueses e como bons portugueses vamos sempre acreditando e tendo esperança em melhores dias.
    José Lúcio Branco

  2. Amadeus

    João Pinto e Castro fez um retrato da direita portuguesa que é tão cru quanto exacto. De todas as maleitas de que sofre – tão mais inesperadas quanto dispõe dos melhores recursos educativos, financeiros e sociais – nada se compara à falta de talento. Não há talento político no PSD e CDS, o poder tem estado entregue a figuras medianas e medíocres, como Durão Barroso, Marques Mendes e Portas, nalguns casos más, como Manuel Monteiro, Filipe Menezes e Ribeiro e Castro, e até péssimas, como Santana e Ferreira Leite. Onde estão os craques?

  3. Tilio

    Casa onde não há pão até os amigos dos donos da casa ralham e não têm razão.

  4. Telmo

    Compreende-se a indignação. Mas porque será que nos outros países onde os sacrifícios são pedidos as pessoas compreendem melhor? Será que pensam que isto é a América antiga?

  5. Astro

    O Presidente da República acaba de condecorar um homem que ele mesmo também ajudou a apear do governo pelos maus serviços prestados. Mas dá-lhe agora a medalha de bons serviços. É um pouco esquisito mas é o Presidente que temos.

  6. Hotelo

    Um país de subsidios. Toda a gente exige subsidio até para a salsa e os coentros.
    Todos sabemos que os portugueses trabalham pouco. A produtividade é pouca em relação a outros. Se continuarmos a exigir como se a crise fosse dos outros e a gente vivesse num mar de rosas teremos um lindo enterro. Só em pensões no ano que passou foram mais mil milhões de Euros. Eu quero ver quando esta mama se acabar. Será a Drª Leite ou o Dr. Passos que com a tal varinha de condão que salvarão a Nação?

  7. Popular

    O Hotelo está enganado. Não é a Drª Manuela Leite ou outro social democrata que salvará o rectângulo mas sim o Jerónimo e o Louçã. Fácil é expulsar os capitalistas e depois os camaradas de ambos os partidos governam isto à sua maneira e vão ver que é o paraíso terreste que nos espera. Sou eu que vos digo. Social democrata até à ponta dos cabelos.

  8. Remédio

    E não há maior deserto do que aquele a que se assiste por causa de Sócrates. A direita começou a atacar Sócrates, ainda antes das eleições de 2005, com recurso a manobras insidiosas, difamatórias, conspirativas, ilegais. Fabricou-se o Freeport, entre outras calúnias. E depois, com a vingança do Zé Manel, foi fartar vilanagem. O cúmulo veio com as escutas a Vara e a obscena defesa da violação do Estado de direito no Parlamento, por Ferreira Leite, e por juristas, à mistura com ataques ao Procurador-Geral e ao Presidente do Supremo. Que bosta de direita é esta que sacrifica os seus valores mais fundos na cegueira do ressentimento e da ambição de poder?

    Marques Mendes tinha excelentes condições para reformar o PSD, dado que nada mais restava ao partido depois da 1ª maioria absoluta do PS. Tentou, ninguém o pode negar, mas como o tratamento ficou a meio, a doença voltou sete vezes pior. Com Menezes todos pensaram que se tinha batido no fundo, só que depois veio o ticket Cavaco-Manela e, de repente, Menezes transformou-se num exemplo de sensatez e dignidade. É do camandro.

    Uma direita que não tem ideias onde a sociedade se reveja, que se cala perante a escandalosa vergonha que vem de Belém, que ataca a Justiça para obter o derrube dos adversários políticos, que não é capaz de respeitar o Estado de direito, é uma calamidade nacional. Aspirina B

  9. Quarteirense

    Não há nada a fazer, vamos todos para o Mosteiro do Snr. Louçã. Ali é limpinho. Numa semana chove cacau que só visto. É preciso agora é votarmos nele nas próximas e em força. Ainda tinha alguma esperança no Pedro Passos mas ao ler um pouco do seu livro vi logo que aquilo é politico de plástico e do barato. Haja Deus.
    Quarteirense

  10. Telmo

    Melhor que o Orçamento de Estado é a gente estar a viver mais alguma coisinha. Segundo o Jornal Público:A mortalidade precoce está a diminuir e os números oficiais provam a evolução verificada nos últimos anos. A mortalidade até aos 65 anos em Portugal baixou entre 2004 e 2008 em todos os escalões etários, revelam os indicadores do Plano Nacional de Saúde (PNS) 2004-2010. Considerando as patologias analisadas, a evolução também é genericamente positiva, à excepção do que se passa com os cancros do colo do útero, do cólon e recto e as doenças atribuíveis ao álcool.

  11. Kapa

    Ó Snr Lucio miséria sempre houve e haverá. Eu estou de acordo com algumas coisas que diz. Experimente ir à Guia ou ao Forum como fui antes do Natal, pelo Natal e depois do Natal e um mar de gente andou sempre por ali e até discutiam em bichas pra comprar roupa que as lojas lá punham em saldos de anos anteriores enganando o zé pagode que não se rala nada com isso.. Na comida então tinhamos de esperar encostados às paredes. E eu até não gastei muito porque aprendi a gastar o necessário mas por causa dos moços lá fui ver e controlar os gastos. Estamos todos muito mal habituados. Mas nunca em nenhum ano se levantou tanto dinheiro nas Caixas de Multibanco. Será dinheiro roubado? Virá do Céu? O que é certo é que ele foi levantado pelos portugueses. É evidente que o pior desta crise são os desempregados. Como aliás em todo o lado. Eu não sei é onde é que o Estado vai buscar tanto dinheiro para tanta reforma e tanto subsídio. E ainda querem mais? E se isto acaba? Kapa

  12. É indigno e imoral que um Governo escolhido pelo povo fique à mercê dos seus adversários para aprovar o Orçamento que lhe permita cumprir o Compromisso Eleitoral!
    Mais imoral é que, neste contexto, o Presidente da República funcione com influenciador da Direcção do Acordo… quando afinal, nem deveria ser exigida a “Maioria qualificada” na aprovação da Proposta de Gestão apresentada pelo Governo empossado, bastaria que o votos da sua bancada se reunissem nessa votação!
    Faltará, o Governo, às Promessas feitas e às suas intenções por força desse Acordo… Mas, haveria outros Acordos possíveis e outros cenários a considerar?
    Ou, por mérito de berço, apenas a Direita é responsável e patriótica? Nem é novidade no País o PS fazer Alianças à Direita, aliás, o contrário é que constituiria Novidade nunca vista!
    Porque razão, para poupar recursos do país, apenas os cortes nos rendimentos do Trabalho dos humildes resolvem?
    As escandalosas remunerações de Assessores, Consultores, Gestores e Titulares de Cargos Públicos e, em muitos casos acumuladas com boas Pensões não resolveriam ou ajudariam no Equilíbrio das Contas Públicas?
    Sem Solidariedade não pode haver verdadeira Justiça Social! Sem Justiça Social não há Democracia que sobreviva!
    É importante pensar em ir buscar receitas a “outros lados”!

  13. Sol

    Concordo em absoluto com o Professor Almeida. Um partido que foi eleito para governar ficar refém da direita trauliteira é demais!. E depois num período tão difícil não será escandaloso que os partidos à esquerda não contribuam um pouco para ajudar a ultrapassar as dificuldades? Afinal para que foram eleitos? Para que estão a ser pagos por todos nós contribuintes? Apenas para dizer não? Mais valia colocarem, lá robots.

  14. Lito

    E SE FOSSE POR CÁ ? – Na Irlanda é assim colocado em marcha o mais arrojado corte orçamental da história da Irlanda: cerca de 400 mil funcionários públicos, um quinto da população activa, serão afectados pela redução em média de 10 por cento anunciada por Brian Lenihan – os vencimentos dos funcionários públicos sofrerão reduções entre os 5 e os 15 por cento.

    Com vista a essa redução de 4 mil milhões de euros no Orçamento, além da mexida nos salários públicos o Executivo de Dublin decidiu igualmente cortar benefícios sociais e implementar novas taxas ambientais aos combustíveis – um regime de “taxas de carbono” que deverá render 500 milhões de euros anuais.

    Segundo o ministro Brian Lenihan, os irlandeses serão confrontados com cortes anuais de 760 milhões de euros no sistema de Segurança Social e de 400 milhões no Sistema de Saúde, restrições que se estendem ao subsídio de desemprego e abono de família.

  15. Helga

    Se por cá baixassem os vencimentos 10% comiam-se uns aos outros. Num país como Portugal onde a produtividade é tão baixa e onde grande maioria está reformada e outros tantos com subsidios e onde se reclama todos os dias por mais como se vivessemos na Inglaterra, nem quero pensar nisso. Helga

  16. Bica

    Cavaco igualzinho ao mesmo de sempre. CAVACO NA ABERTURA DO ANO JUDICIAL

    Na crítica às más leis o Presidente da República teve dois critérios: em relação ás leis aprovadas pelo PS, como a do divórcio, nomeou essas leis, já no caso das que foram aprovadas pelo PSD, como a da criminalização do enriquecimento, não as nomeou. Enfim, um presidentesinho. Do Jumento.

  17. Jorge

    Pela leitura dos comentários concluo que Sócrates tem enganado bem uma grande parte dos portugueses. E, infelizmente, continua a ilusão em muitos deles. Pelos vistos só vão acreditar quando Portugal for à bancarrota…

  18. Zeca

    Óh Jorge mas se a Manuela Leite ou o seu afilhado ganharem as próximas ainda vão a tempo. Com a sabedoria da senhora e dos seus parceiros mais o Presidente de alguns Portugueses é tiro e queda. A felicidade está à porta e a gente nem repara nela? Somos mesmo injustos.

  19. Zeca

    O Zeca e o Jorge estão muito enganados. Quem levava já isto de caminho para o paraíso era o Louçã acasalado (politicamente) com o Tio Jerónimo. Lançavam-se sobre a Espanha, faziam assim como que uma Primavera de Praga e conquistavam o bloco Ibérico fazendo dele uma República Comunista expulsando de vez o velho capital e todos os que o apoiam. Zeca -Anti capitalista –

  20. Gil

    O Zeca II está enganado assim como Zeca I e o Jorge. Há uma solução para esta crise despoletada pelo Sócrates a nível mundial. Essa solução está quase a chegar.
    Esperem e verão.

  21. Sardinha

    O homem só tem o governo que fez. Se governa bem ou mal tanto faz estamos em crise!CRISE PARA A DIREITA, CRISE PARA O CENTRO, CRISE PARA A ESQUERDA É SÓ CRISE. Mas quando lemos nos jornais que uma Srª F Leite ganha mais em subsidios que o Socrates em ordenado algo vai mesmo mal. Faço aqui um apelo para o Socrates vir a Loulé por ordem na casa, e acabar de vez com o sitio do IKEA.

  22. Meus caros; este, penso eu, não tem sido um amplo debate. Digo isto porque não é vasto o elenco de argumentos sendo possível adiccionar um leque de causas e motivações para este “Nada Original Acordo”. Com efeito, não fica, nem está, provado que o Déficit público só posso ser reduzido à custa das obrigações do Estado em obras, ordenados e subsídios. Continua claro que outros sectores da sociedade portuguesa muito poderiam fazer para resolver essa questão, desde logo a Banca e a própria classe política e as medidas que sobre eles recaem não são conhecidas, se é que form pensadas algumas (?).
    Trata-se pois de uma Opção do Governo que se resume na acção solitária de assumir executar restrições aos Direitos e Espectactivas de todos os que de si dependem e uma demonstração de cobardia perante a sua Oposição de Direita, a Grande Finança e a Especulação.
    Assim decidindo, cava o Primeiro Ministro e Governo a sua sepultura, bem mais cedo desta vez que da anterior, mas de remissão difícil!
    Resta que os eleitores saibam entender a “cesta de 7 varas” em que o PS se meteu e identificar o Oportunismo da Direita que, reunida, impôs este cenário abençoado pelo Sr. Cavaco de Boliqueime, apenas o mais vinculado e impopular dos presidentes do pós 25 de Abril.
    Para chegar a isto, melhor seria que o Governo tivesse caíndo e, assim talvez, o País pudesse escolher novo Governo e novo Presidente!

  23. Pronto para a corrida

    Porque é que não damos lugar aqueles que ainda não foram governo?
    Fazer pior parece-me dificil.

  24. “pronto para a corrida”; essa é uma questão recorrente desde Abril, sociologicamente difícil de responder. Para mais já se perde no tempo, e foi um tempo tumultuoso, a passagem dessas sensibilidades pelo Governo das Coisas Públicas.
    É verdade que não se lhe conhecem pecadilhos de monta, ou pelo menos além do caso do sindicalista que foi parar à Câmara de Cascais, não se conheçam abusos ou adoração dos dinheiros os Eleitores continuam a não depositar o seu Voto nessa via temendo que o País seja excluído do “Primeiro Mundo”.
    Este poderá, e deveria, ser tema de um próximo post do blog mas as águas andam pouco frequentadas e o “pescado” que vem à rede está contaminado e comprometido com a situação.
    Como vê, e se acredita, é difícil a franqueza em tal “micro clima”.

  25. Melão

    O Santana Lopes era homem para desancar na crise. Medalhado por altos serviços prestados à Nação e tendo reduzido a cinzas o Orçamento da CMLisboa penso que será uma das muitas figuras do PSD que poderão jogar mãos à coisa. Haja alguma vergonha e não se digam disparates. Melão

  26. Pronto para a corrida

    Teóricamente a solução passa por um movimento novo, que não inclua as personagens da política actual, sem compromissos com o poder económico, um movimento independente com um único compromisso servir o país e as pessoas e não o partido A ou B ou a empresa A ou B!
    Mas para que isso fosse possível teria que haver uma revolução a nível global.

    Mais tarde ou mais cedo vai acontecer, agora não sei é como irá terminar!!!

  27. Meu caro “pronto para a corrida”; eu não posso afirmar que esteja pronto para a partida, mas que tem avançados os exercícios de aquecimento, lá isso não há dúvida que tem!
    Essa do nível global é que não faz sentido algum no meu modesto ponto de vista, e quem sou eu para avaliar sociologia mundial?
    É que nem os teóricos do Comunismo Científico conseguiram tal e mesmo os Anarquistas consideraram essa impossibilidade prática e admitindo a explosão de franjas localizadas.
    Maio, tal como Abril, são meses amenos para revoltas românticas e acções de rua; os jovens vão dando sinais de impaciência com a falta de objectividade e com as delongas da política burguesa de seus pais e avós… Isso faz admitir que, mais ano menos ano, algo rebente por cá e por lá (em vários locais em simultâneo) de forma descoordenada talvez mas imparável. Podendo ser as “redes sociais” o veículo de comunicação (?)
    Há ainda a considerar a impossibilidade de o “Primeiro Mundo” continuar a explorar, simultaneamente, condenando à miséria absoluta os povos africanos.
    Em suma: abrande o aquecimento mas não regresse aos Balneários, que a coisa vai acontecer, não se sabe quando, não será global, mas será expressiva!

  28. Pronto para a corrida

    Olá.

    Trancrevo do vosso texto o seguinte:
    “Isso faz admitir que, mais ano menos ano, algo rebente por cá e por lá (em vários locais em simultâneo) de forma descoordenada talvez mas imparável.”

    Esta sua ideia é também a minha opinião, agora analisemos: vários locais em simultâneo de forma descoordenada e se fôr imparável, vai ser Global pelos menos no mundo apelidado de democrático, como aconteceu por exemplo com a Revolução Liberal.

    Efectuei bem o aquecimento de uma forma dinâmica, neste momento estou em plena corrida a que “nós” chamamos de ultramaratona (longa duração).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s