Boys “ao Sol”!


São, sem dúvida, os “boys” um grande problema na regulação da vida pública quotidiana de qualquer povo que deseje constituir-se como Nação próspera e justa.

É assim porque, na sua existência, os “boys” respondem às directivas dos “masters” que se baseiam na alimentação da “grande máquina” cujo objectivo único é a “manutenção do poder”.

Portugal é, desde sempre, pode ser dito, um País de “boys” e de seguidores de “masters” e por isso mesmo manifesta dificuldades em afirmar-se como Nação de Homens Livres. Mantém-se há muito como antro de “amiguismos” que subverte as relações de trabalho e de convivência social que deveria basear-se no mérito individual e no seu reflexo na vida colectiva.

Expôr e denunciar os “boys” é uma importante tarefa. Mas purificar o “boys de ontem” e apenas expôr os “boys de hoje” revela a clara intenção de, apenas, mudar de “boys” guindando os “masters do Passado” ao ambicionado poleiro!

A profunda e antiga doença, por muito que os “boys” o venham a lamentar, tem que ser resolvida com o Advento de uma Nova Força de Organização Política que só será possível com a redefinição das Organizações Sociais.

As “moscas” precisam de mudar! Para que tal aconteça, há que mudar esta “trampa”!

Alguém acreditará que os “boys” têm rédea solta? Nós não acreditamos, e, já que se mexe na “trampa”, queremos que não fiquem só pelas “moscas”!

5 comentários

Filed under Blogosfera, Cidadania, Opinião, ssebastiao

5 responses to “Boys “ao Sol”!

  1. Boliqueime

    E os boys dos canais?
    Gosto de ver o candidato presidencial de Boliqueime dar lições de democracia aos portugueses mas lembro-me de quando a licença para a criação do canal de televisão que veio dar lugar à TVI a decisão ter sido questionável. Cavaco está preocupado com a eventualidade de Sócrates perseguir a família Moniz, mas a verdade é que para ele foi mais fácil ter o controlo de uma estação de televisão dando-o à igreja, em prejuízo da candidatura de Proença de Carvalho.

    Aliás, Cavaco que já tinha um controlo próximo da RTP, comparar o pluralismo de hoje da estação pública com o dos tempos do cavaquismo é do dia para a noite, nesse tempo os jornalistas da RTP, onde se destacava o Moniz, lambiam as botas aos governantes do PSD. Mas o democrata Cavaco Silva, o tal que anda muito preocupado com a liberdade de imprensa, deve ter achado pouco, lançou dois canais privados, um foi para Pinto Balsemão e o outro para a Igreja, a direita passou a controlar três estações de televisão.

    Nesse tempo, sim, havia liberdade de imprensa! Ora bolas Cavaco!
    – A alegre cavaqueira –

  2. Manoel J.

    E os Boys e a sexy girl Moura Guedes a jornalista justiceira, comandam agora as primeiras páginas dos jornais. Tristes tempos em que meia dúzia de medíocres querem à força mandar no país contra a vontade de quem não os escolheu para coisa nenhuma. Manoel

  3. Manoel J.

    Também há por aí muitos boyzinhos que não conheceram nada dos tempos em que a Liberdade estava presa com grilhetas e agora dizem aos quatro ventos coisas de patos bravos. Conversa de café :
    “O filho-da-mãe ferve em pouca água, dizia o meu parceiro de mesa entre duas dentadas na sandes de presunto, com os olhos postos na primeira página de um jornal que a ASAI proibiu como embalagem de castanhas.

    O gajo é um sacripanta, um trafulha, basta ver-lhe as companhias e os tiques. Até já conseguiu acabar com a merda da livre expressão em Portugal.

    E eu olhava de soslaio para o puto e pensava que se ele sonhasse rosnar aquilo há trinta e poucos anos atrás já estava engavetado e com uma chanfalhada nas trombas.

    Frócas-se! ” Barbearia do Snr. Luis

  4. Atento

    O Diário de Noticias de hoje o único jornal diário onde se sente independencia fala hoje sobre uma escuta que o Sol nem se lembra de publicar.
    As conclusões do despacho de Pinto Monteiro foram hoje publicadas pelo DN. Veja-se este extracto:

    ‘Em primeiro lugar, nas referências, explícitas ou implícitas, feitas ao Primeiro-Ministro nos produtos das alíneas a), g), l), m), o), p), s), f), u), v), e z), do n.º 8 não existe uma só menção de que ele tenha proposto, sugerido ou apoiado qualquer plano de interferência na comunicação social. Não resulta sequer que tenha proposto, sugerido ou apoiado a compra pela PT de parte do capital social da PRISA, tal como se não mostra clarificado o circunstancialismo em que teve conhecimento do negócio. Ao invés, há nas escutas notícia do descontentamento do Primeiro-Ministro, resultante de não terem falado com ele acerca da operação; “devia ter tido a cautela de falar com o Sócrates… não falei e o gajo não quer o negócio. Era isto que eu temia. Acho que o Henrique não falou com ele, o Zeinal não falou com ele… eh pá… agora ele está ‘todo fodido’. ‘Está todo fodido e com razão'” [n.º 8, alínea u), produto nº 5291, de Rui Pedro Soares para Paulo Penedos; v. ainda os produtos das alíneas x) e z)].’

    posted by Miguel Abrantes

  5. Mouro

    Ainda recentemente o país deu uma boa resposta a esta poeira levantada por tanta intriga mediática. Uma breve notícia que passou nas televisões deu conta de que havia falta de sangue nos hospitais. Logo milhares de portugueses correram a dar sangue. Em dois dias repuseram o stock. Já antes tínhamos assistido a similares demonstrações da lusitana abnegação. Timor foi um pico, mas há muitos casos locais e nacionais que não fazem agenda. De tanta coisa negativa que se aponta à nossa maneira de ser, esquece-se por vezes que também temos muitas qualidades. Uma delas é andar para a frente com a caravana e deixar os cães a ladrar.

    Leonel Moura

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s