Fraude Juvenil utiliza a “Música Nova”!


Uma Fraude Juvenil que, a provar-se a acusação, é muito grave e tem que ser travada pelo esclarecimento público e exercício activo de Cidadania:

Exmºs Senhores
A Direcção da Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva vem através da presente solicitar a V. Exªs., a divulgação do seguinte:

Recentemente um grupo de jovens alunos da Escola (****) de Loulé apoderou-se indevidamente de um número indeterminado de senhas que eram utilizadas para venda de bebidas nos bailes realizados na sede antiga desta Associação.
Esses mesmos jovens estão a fazer venda de rifas na Cidade de Loulé utilizando as referidas senhas.
Sendo a Soc. Fil. Artistas de Minerva uma Associação muito conhecida, as pessoas rapidamente acedem em comprar rifas.
Esta Associação não tem qualquer campanha de venda de rifas ou de recolha de donativos pelo que estamos perante uma fraude, a qual pensamos não ter sido intencional por parte dos jovens mas sim como forma de se divertirem.
Solicitamos a quem for contactado para compra das rifas que não as compre e tente elucidar os jovens para o erro que estão a cometer, ou se preferir contacte a SFAM pelo telefone 289416048 para identificação dos mesmos ou então para a GNR de Loulé.
Agradecendo antecipadamente a atenção dispensada despedimo-nos com os melhores cumprimentos.

Pel’A Direcção
José Lúcio Branco

Contactos, por nós realizados, junto dos estabelecimento de ensino da Cidade não permitiram confirmar os factos relatados, tendo sido pelas suas direcções declarado o completo desconhecimento da notícia e ausência de qualquer contacto da Filarmónica.

Como acreditamos na dedicação e honradez do Sr. Maestro Branco, damos crédito ao Alerta que nos fez chegar. Apelamos aos nossos leitores para que não alimentem o logro e nos façam chegar as informações que ajudem a travar a fraude, caso venham a ser abordados para compra e venda de rifas!

12 comentários

Filed under Cidadania, Ensino, Juventude, Loulé, Solidariedade, ssebastiao

12 responses to “Fraude Juvenil utiliza a “Música Nova”!

  1. José Lúcio Branco

    Uma das referidas rifas adquiridas pelo SR Padre (….) foi entregue no Sábado ao tesoureiro da nossa filarmónica com alguma admiração pelo facto de ter sido abordado por duas jovens às quais comprou a rifa na zona da Rodoviária.
    Hoje logo pela manhã fui contactado pelo tesoureiro e depressa deduzi que as referidas senhas eram as que utilizávamos nos bailes para vender as bebidas, as quais tem o carimbo da Associação.
    Durante o tempo de aulas há um grupo de miúdos e miúdas da Escola …… que diariamente frequentam o antigo edifício onde a SFAM estava instalada, correndo sério risco de ficarem por lá debaixo dos escombros.
    Há alguns dias esse grupo andou a distribuir panfletos antigos e convocatórias antigas pelas caixas do correio das redondezas.
    Por isso mesmo deduzo que tenham sido eles.
    Claro que não queremos mal aos miúdos, lancei o alerta apenas para que caso alguém seja abordado para comprar rifas lhes chame a atenção para o que estão fazendo para que possam reconhecer que não é benéfico para a idade deles tal atitude.
    José Branco

  2. Vamos lá encarar este lamentável assunto em todas as suas vertentes!
    Por muito condenáveis que possam ser as incursões das crianças e jovens no edifício devoluto da Sociedade Filarmónica que a Câmara adquiriu, não são de modo nenhum, comparáveis à incúria demonstrada pela Autarquia. Na verdade, no longo tempo transcorrido desde a sua aquisição, o novo proprietário, não o limpou, não o consolidou e não o vedou o acesso ao seu interior!
    É, precisamente, pelo facto de não se encontrar vedado que o risco é maior, podendo ser fatal para qualquer infeliz cidadãos que tenha o azar de ali estar na hora errada. Sendo maior o risco no interior do Edifício por via do sobrado apodrecido!
    Já há meses, por mais de uma vez, aqui alertámos para a probabilidade de colapso daquela estrutura e relembrámos a promessa de o dotar de uma cobertura provisória mas, até agora, nada aconteceu!
    A curiosidade infantil não pode ser culpada pelo desmazelo das Instituições. Estas devem, urgentemente, resolver este grave problema.
    Iremos preparar um dossiê sobre este assunto para apresentar nas próximas Assembleias de Freguesia e Municipal!

  3. poetisa

    Já não é sem tempo. Em Loulé tudo não passa de um regabofe. Mas os louletanos adormeceram.
    Tenhamos paciência e estejamos alerta para todo este desmazelo. Dinheirinho para fazer a Exposição da Candidatura(????) do Professor de Boliquieme não faltou, mas para outras coisas é o que se vê. Estamos fartos embora saibamos que eles se estão maribando para nós.

  4. poetisa

    Acredito que Jose Lucio Branco esteja farto de aguentar tanta parvoíce junta vinda de muitos lados. Mas o que fazer?

  5. North

    Tanta queixinha. Tanta lamuria. O Snr. Branco deve agradecer a esta Câmara que lhe tem dado o que ninguém lhe deu. Temos de ser bem agradecidos. Que estes homens continuem por lá nos Paços do Concelho por muitos anos contra ventos e muitos mal agradecidos que vão aparecendo por aí.

  6. Vimeiro

    Ainda bem que vão aparecendo blogs como o Sebastião para noticiar o que vai acontecendo nesta terra de fanfarronice por parte de quem manda. Que não lhe doa as mãos pois quem fala verdade não merece castigo. O poder em Loulé faz o que quer. Até quando?

  7. Acerca do que os jovens fizeram está bem claro e todos percebemos porque entraram naquele edíficio em ruína. Quanto ao destino do edíficio cabe às autoridades decidir e penso que o caminho certo é o de apresentar o caso nas instâncias próprias tais como o Professor Almeida sugere.
    Sobre a Artistas de Minerva, não entendo a relutância de alguns em perceber o papel de uma instituição destas:
    – ocupa os tempos livres de jovens e menos jovens com uma actividade cultural;
    – tem ajudado a formar excelentes músicos, alguns deles profissionais da música, reconhecidos;
    – é essencialmente uma escola de Música onde as aulas são gratuitas (informem-se quanto se paga numa escola de música, em média), os instrumentos são cedidos pela banda (informem-se dos preços);
    – tem mais de 20 alunos com instrumento neste momento (em média um músico demora dois anos a integrar a banda) e onde se investem muitas horas de aulas e ensaios;
    – tem levado o nome de Loulé, no campo da música amadora, a todo o país e até a Espanha;
    – por ela passaram centenas de músicos em 134 anos de actividade.
    Se isto não tem valor e não é passível de apoio então não sei…
    A minha opinião pode ser considerada pouco isenta mas realmente não entendo, isto são os factos!
    Já agora estamos, como sempre, abertos a novos alunos que queiram aprender a tocar (com esforço, tempo e paciência) bem como de pessoas com ideias novas e úteis para levar a Artistas de Minerva mais longe.
    Com os melhores cumprimentos.
    Albano Neto

  8. Albano; é com sentida mágoa que confirmo a justeza de tudo quanto o amigo escreveu.
    Na verdade, além da CML, muitos são os louletanos que esquecem o “dia-a-dia” da secular instituição de fomento musical de Loulé!
    Muitos são injustos com a Banda e de pouco vale gostarem dela quando abrilhanta as festas da Mãe Soberana, esquecendo-a o resto do ano, complicando a sua acção mesmo nessas festivas ocasiões.
    Está este blog disposto a levantar um processo de defesa dos méritos e da dignidade da mais antiga associação civil louletana lutando pelo justo subsídio e por instalação condigna, na defesa da sua digna história e feitos!

  9. José Lúcio Branco

    O NORTH ou não sabe ler ou é estúpido o suficiente para não saber interpretar os comentários deste blog.
    1. Não fui eu quem fez chegar ao blog o que se passou sobre as rifas. Quem o fez esteve bastante bem pois convém alertar as pessoas para não colaborarem na compra das rifas.
    2.Pelo que li foi o autor deste blog quem defendeu apoios para a Soc. Fil. Artistas de Minerva.
    Como cidadão livre deste País tem todo o direito de escrever sobre o que o mesmo acha justo.
    3. Peço-lhe NORTH que indique uma só frase onde eu já tenha reclamado de apoios que a Câmara deveria ou não dar. Diga onde está comentado isso por mim.
    4.Para quem assiste a concertos em Loulé e fora de Loulé poderá informar V. Exª., que eu menciono sempre o apoio desta Autarquia e o Sr Presidente pode testemunhar isso mesmo e olhe que eu não sabia que ele estava a ver o concerto.
    5.Esta Associação tem uma Direcção a quem compete dizer se os apoios são muitos ou poucos, não sou eu quem os comenta, muito menos os que a Câmara dá.
    6. Este NORTH deve ser um daqueles desnorteados que pouco lhe interessa a cultura da nossa Cidade. Vai uma aposta em como este NORTH não comentava o que quer que fosse se a SFAM fosse um clube de futebol. Atenção que não tenho nada contra os clubes. Acho muito bem que todos existam.
    7.Se quiserem criar polémica estejam à vontade pois não me aquece nem me arrefece, não tenho aspirações politicas, deixei de me envolver nos assuntos da Filarmónica para não misturar as coisas com o meu trabalho.
    8. Estou perfeitamente à vontade para afirmar que enquanto fizer parte desta grande família que é a ARTISTAS DE MINERVA, defenderei sempre a mesma nem que para isso tenha que “chamar os bois pelos nomes” e pegá-los pelos cornos como se diz em SAFARA, a terra que me viu nascer.
    9. Se o NORTH quer dizer algo não mande recados assuma-se e combine um cafézinho, terei muito gosto em dar-lhe a conhecer esta grande Associação que tenho a certeza voce só conhece nas Festas da Cidade.
    10. Para terminar digo ao NORTH que se tiver coragem diga as coisa sem se camuflar. Eu como não tenho receio e como vê identifico-me.
    José Lúcio Branco

  10. Tem razão o Sr. Maestro em se indignar com o North, também nos indignou o seu comentário tão destituído de verdade.
    Validámo-lo porque pensamos que tão estranha opinião merecia resposta de quem de direito, que não nós, ela apareceu e esclareceu!
    Em nossa opinião, o melhor apoio que se pode dar à Filarmónica é um espaço adequado para ela exercer a sua meritória acção formativa e de representação desta Cidade.
    O suporte financeiro e de equipamento será assunto a tratar na assinatura de Contrato Programa que, em justiça, deve atender ao serviço público prestado pela prestimosa instituição.

  11. José Lúcio Branco

    O Contrato Programa ou atribuição de subsídio é fundamental para o desenvolvimento desta Banda Filarmónica bem como de qualquer Associação do nosso concelho.
    É Muito? É Pouco?
    Dentro daquilo que é atribuído tenta esta Associação fazer o melhor que pode.
    É público que esta Associação sempre manteve uma estreita colaboração com a Câmara e sempre fez saber que sem uma sede não seria possível sobreviver sem o apoio da Autarquia.
    A CML sempre deu o apoio necessário ao desenvolvimento das actividades desta Associação e sempre foi retribuído da melhor forma.
    Não fazem portanto sentido as palavras desbocadas do NORTH.
    As contas nesta casa são sempre tornadas públicas nas Assembleias Gerais.
    Se o NORTH quiser saber o que recebemos e o que gastamos apareça por cá e veja com os seus olhos os relatórios de conta e aproveite para apreciar o trabalho que fazemos.
    Local de ensaios: Travessa Júlio dantas, nº 8, em Loulé, perto do Stand da Ford.
    Ensaiamos à 6ª Feira à noite mas pode aparecer ao fim da tarde de 2ª, 4ª e 5ª que pode assistir ao trabalho de formação da nossa Escola de Música.
    Talvez a sua opinião mude e não faça ataques pessoais que não têm o minimo cabimento.
    A pessoas destas respondo com trabalho, cada critica torna-se numa vontade maior de trabalhar.
    Obrigado Prof. Almeida por ter colocado o comentário do NORTH, assim podemos falar mais sobre a Artistas de Minerva.
    Há pessoas nesta terra que ainda não conseguem engolir como é que uma pessoa de fora conseguiu salvar aquilo que muitos de cá quizeram afundar.
    Escolhi Loulé para viver há 27 anos e não me arrependo de nada do que fiz musicalmente por esta Cidade, continuarei a fazê-lo com “nortes” ou sem eles.
    José Lúcio branco

  12. Sardinha

    Eu não sei como é que esta garotada se lembra de tal. E o Sr Vigário comprou logo uma rifa. Mas eu ainda sou do tempo em que havia duas bandas em Loulé e eram conhecidas por Musica Nova e Musica Velha, A Nova sobreviveu até hoje sempre apoiando todos os jovens que queiram aprender música. Mas se tivessem uma equipa de futebol o Dr. Emídio já tinha mandado construir uma sede. É só falta de futebol!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s