O “Homem do Leme”…


No início a melodia soa bem e arranca aplausos de todos os quadrantes…

Eis que, inflamado, o maestro começa a improvisar e a transpôr caminhos nunca anteriormente caminhados, aos primeiros falsetes reage e chama a si a direcção da orquestra, mantém os músicos…

Resistências na Plateia, mas forte adesão à novidade, ao menos acontece alguma coisa e a “gente” vai sabendo da música: Abre-se a Partitura e quebram-se Tabús e… no meio do Teatro há os que deploram a quebra das Tradições e os que acreditam na Novidade aderindo ao ritmo, até porque é o que têm para envolvidamente se encaixar.

Uns e outros pensando: Este tipo é louco, mau músico, mas parece que a “melodia” funciona, apesar dos “remendos”, vamos bailando!

Sim bailando, que o contra-regra gosta do ritmo!

9 comentários

Filed under Cidadania, Política Nacional, ssebastiao

9 responses to “O “Homem do Leme”…

  1. Almedino

    Se o contra-regra gosta do ritmo…. Avance quem não tem calos.

  2. Jota

    O Maestro de tanto improvisar torna a partitura numa trapalhada tão grande que os espectadores começam a ficar fartos de tanto bailarico. Os intervencionistas estão sujeitos a que alguém da plateia lhes roube o comando e carregue na tecla stop.

  3. Saxofonete

    Às vezes os maestros são mal compreendidos sobretudo em tempos dificeis em que as notas não abundam e os clarinetes entopem. Nestes momentos, os grandes maestros que andam escondidos por aí, não mostram sequer as suas alvas carecas. Esperam apenas que a orquestra
    esteja em pleno para então dar um ar da sua pouca graça.
    Saxofonete

  4. Republicano

    O grande Vergilio Ferreira grande maestro das letras disse e a gente assina por baixo (alguns):
    Faziam bem, os arautos que gostam de parir ideias abaixo de zero, em parar um pouco para lerem um aviso de Vergílio Ferreira (Escrever, página 215), que aqui com gosto e a custo zero lhes ofereço: «Não digas. Não digas mal do país, ou seja, de ti. Terás talvez a ideia de que o dizeres mal te separa do resto e te alça a ti a uma posição altaneira. Não penses. Fazes parte daquilo em que cospes, és pertença dessa sujidade. A grandeza de uma ofensa tem que ver com ela própria. A grandeza do cuspo é o escarrador que és tu. Aprende o orgulho de ti na grandeza ou na miséria. E se queres condenar a miséria que também é tua, fala um pouco grosso que não te fica mal. Podes talvez lamentar mas não escarnecer. Se cospes tornas visível o cuspo naquilo em que cuspiste. Como queres que os outros te respeitem se tu mesmo não o fizeres? Para o lixo há recipientes apropriados em que esse lixo não se vê. Não cuspas mais no país para que os outros não se enojem do cuspo em que revelas a terra que é tua e que, portanto, és tu».

  5. ALmansor

    Notícias de que ninguém fala:
    “Temos portanto três boas notícias, sendo a primeira a confirmação de que, no primeiro trimestre a economia esteve a recuperar mais do que o inicialmente previsto; a segunda, que as exportações continuaram a crescer entre fevereiro e abril; e a terceira, esta, de que, pela primeira vez, Portugal tem um saldo positivo no comércio de eletricidade”, sublinhou o governante, à margem da I Cimeira Luso-cabo-verdiano, numa curta declaração sem direito a perguntas dos jornalistas.

    O Instituto Nacional de Estatística reviu hoje em alta o crescimento da economia portuguesa no primeiro trimestre do ano, com o PIB a crescer 1,8 por cento face ao trimestre homólogo e de 1,1 por cento face ao quarto trimestre de 2009.

    Entre fevereiro e abril de 2010, as exportações aumentaram 18,4 por cento face ao período homólogo, mas ainda assim o défice da balança comercial sofreu um agravamento de 176 milhões de euros.

  6. Nilo

    Quem vai ao leme? Os pasteis de Belém ou S. Bento com a bússola do futuro? E se o futuro é já hoje e não está nada bom que haja alguém com cabeça e coragem para ir caminhando deixando os pastelinhos para trás. Nilo

  7. Opiniões diversas está a motivar este post😉
    Contudo parece óbvio que foi entendido quais os 3 destinatários da mensagem!
    Face aos problemas graves que atravessam o nosso Mundo é importante descobrir novos caminhos, alguns desses poderão não dar os resultados pretendidos, outros darão apenas sinais… mas haverá, seguramente boas medidas tomadas!
    Não há memória, entre nós, de um Primeiro Ministro tão contestado e mesmo assim por todos mantido. Chegando-se agora à originalidade de adopatar “uma aliança” de governação e manter a desacreditação por via do “Regente Mor” e do “Contra Regra”!!!
    Tem asneirado, algumas vezes, aldrabado a “partitura” também, mas que é forte e determinado em acertar “a música” não devemos duvidar!

  8. Brigadeiro

    Professor Almeida. Nunca houve em Portugal um 1º Ministro tão determinado. Um homem vilipendiado pelos maiores sacanas deste país. Não conheço politico algum do nosso pequeno rectângulo que tenha a preserverança deste homem. Lutar contra ventos e marés. Há dois anos tinha o défice controlado como nunca ninguém teve. A crise abanou a Europa e em particular as pequenas economias como a nossa.
    o Euro está sofrer duros ataques e todos sabemos de onde. Haverá algum politico que goste de tomar medidas duras? Só um louco. Este, ou outro no seu lugar seria obrigado a tomá-las. Então porquê esta batalha sem tréguas apenas contra um homem?

  9. anónimo

    Quanto mais me bates mais gosto de ti, come e cala-te. Quem leva com a batuta sofre as consequências, quem não leva, aplaude e põe o “Regente Mor” nos píncaros da Lua por mais fífias que dê. Não admira, agora até tem um “contra regra” a ajudar para a sinfonia ficar mais completa e quem se lixa são os músicos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s