Cília canta Saramago!


8 comentários

Filed under Arte, Blogosfera, Cidadania, Ensino, gente

8 responses to “Cília canta Saramago!

  1. Celia

    No Blog As vozes dos outros encontrei este comentário de Cesar Ramos que me parece interessante para o momento:
    ” Com “Luto Nacional” [o que é justíssimo], vamos ter cerimónias de Estado com tudo o que Saramago vai ter direito!

    Até o sapo que Cavaco Silva vai ter de engolir, pelo facto de o ter condenado ao ostracismo!

    É uma parte nossa que partiu, mas como aqui já temos dito, ninguém morrerá se não for esquecido!

    E… não é possível esquecer Saramago pela obra deixada, pela vida vivida e pela coerência e firmeza do seu carácter (…)

    Mesmo os discordantes terão de aceitar que o intelecto dele não passou só pela escrita, mas afirmou-se também na sua conduta como homem e pensador.
    18 de Junho de 2010 19:25 “

  2. Num dia de orgulho como o de hoje em que muito justamente o povo de Portugal agradece e se compromete em, honrando, nunca esquecer um excelentíssimo homem do povo que cresceu ao mais elevado nível de cultura e honradez, tão pouco frequente sendo, não podemos deixar de assinalar a vergonha que na memória dos portugueses definitivamente manchará os ausentes nesta hora de despedida de José Saramago!
    José Saramago o grande pensador e paladino dos direito humanos e da promoção da pessoa deixa-nos também na hora da partida a identificação claríssima daqueles que são os retrogrados, os cruéis e obstáculos à liberdade de consciência e, consequentemente, ao Progresso…
    Ler-te-emos e em ti teremos a mente inspiradora das nossas mentes livres! Até sempre amigo nosso! Estarás connosco para sempre!

  3. Peter

    E mais uma vez o Presidente da República provou não ter vocação para o cargo. AO longo deste seu mandato o nosso Presidente toma mais uma vez uma posição que não é digna do cargo que ocupa. Aqui não há comunistas, nem socialistas ou outros. Trata-se da homenagem a um homem mundialmente conhecido e que levou a língua portuguesa aos quatro cantos do mundo engrandecendo-a.

  4. Jota

    «SABEREMOS CADA VEZ MENOS O QUE É UM SER HUMANO»
    José Saramago
    Muito menos compreenderemos seres como o Presidente!

  5. Aspirina

    De Cavaco Silva aceitávamos que não fosse ao funeral de Saramago. Do Presidente da República, não.

    Agastado com quem o detestou em vida, temendo aumentar o fosso com os católicos ressabiados, optou por faltar a um acontecimento que uniu os portugueses. Os portugueses gostam dos seus mortos, são essencialmente unos. Infelizmente, têm um Presidente da República que não é tão patriota como eles, como fica patente pelas explicações que deu para faltar: promessa de férias com a família. Esta completa ausência de sentido de Estado, e de compreensão simbólica do que está em causa, tem acompanhado a sua Presidência. Mais valia que assumisse a sua ausência com uma declaração de distância ao homem, havendo tantas e tão boas razões para tal, mas a hipocrisia que rege a sua conduta política não lhe permite essa afirmação de carácter.

    O cavaquismo dá-se muito mal com a época estival.
    Aspirina B faz bem

  6. Fernando II

    A esta hora os comunistas da Coreia devem estar terríveis com um pequeno país da Europa os reduziu à vergonha futebolística que todos vimos. Tudo é possível em futebol e tudo se deve aceitar. Duvido que aqueles dirigentes feudais de um regime déspota como é aquele nada façam em relação a esta humilhação. Mais uma vez o Comunismo foi derrotado não a nível politico mas a nível desportivo. Quanto ao escritor Saramago de que tanto se falou acho que foi um homem com alguns defeitos e qualidades como acontece com todos os outros. Mas o que importa é a obra que deixou sendo comunista ou não. Abomino o Comunismo mas adoro a obra de Saramago e já estou a transmiti-la aos meus dois filhos. Nada de confusões.

  7. Ex Martells

    Foi o homem do PCP na redacção do Diário de Notícias. Foi o director-adjunto no Verão Quente de 1975, o “ideólogo” responsável pelo “saneamento” de duas dezenas de jornalistas que exigiam pluralismo na linha editorial. A decisão foi tomada por um plenário de trabalhadores, e o voto foi de braço-no-ar. Luís de Barros era o director, mas ninguém associa o seu nome à purga interna. O ónus foi todo para Saramago.

  8. disse Saramago em 2008:
    “Acho que na sociedade actual nos falta filosofia. Filosofia como espaço, lugar, método de reflexão, que pode não ter um objectivo determinado, como a ciência, que avança para satisfazer objectivos. Falta-nos reflexão, pensar, precisamos do trabalho de pensar, e parece-me que, sem ideias, não vamos a parte nenhuma.”
    in Revista do Expresso, Portugal (entrevista), 11 de Outubro de 2008

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s