Reflexão sobre uma Pergunta…


Com o convite ao voto, de todos, fica uma questão séria a justificar reflexão aturada… Uma reflexão que pode, quiça, estar na base da escolha que muitos farão no Domingo:

– Quanto tempo passará até sermos, de novo, chamados às urnas este ano?

Golpes palacianos e tabús à parte, votemos, escolhamos o que melhor acharmos poder servir o País e unir os Portugueses. Desculpemos esta má Campanha e demonstremos a Maturidade democrática… Votemos!

Depois, a memória julgará os feitos e a História guardará os méritos dos capazes.

16 comentários

Filed under Eleições

16 responses to “Reflexão sobre uma Pergunta…

  1. Juventude

    Este é um verdadeiro post democrático e alegre. Porque não? Acho que chegou a hora de pintarmos Portugal de outra cor que não o cinzento. Sou louletano e gostaria de coração colocar um voto num homem do meu concelho candidato ao mais alto cargo da Nação. Infelizmente não o posso premiar com esse voto já que não demonstra, de há muito, ser a pessoa indicada para o lugar. Votemos em consciência mas é bom que nos informemos, não através de emails reacionarotes ou salazarentos mas através de escritos de quem sabe o que diz e também pelo nosso olhar atento ao que se passa à nossa volta.

  2. maria II

    Domingo é dia de enchermos Portugal de canteiros de esperança. Chega de passadismo bacoco e pouco salutar. Maria II

  3. Rio

    Canção tão simples

    Quem poderá domar os cavalos do vento
    quem poderá domar este tropel
    do pensamento
    à flor da pele?

    Quem poderá calar a voz do sino triste
    que diz por dentro do que não se diz
    a fúria em riste
    do meu país?

    Quem poderá proibir estas letras de chuva
    que gota a gota escrevem nas vidraças
    pátria viúva
    a dor que passa?

    Quem poderá prender os dedos farpas
    que dentro da canção fazem das brisas
    as armas harpas
    que são precisas?

    Manuel Alegre

  4. Camus

    Para já interessa mesmo mudar este trono de três pernas, uma coroa ferrujenta e meia dúzia de pajens que bem podiam ir em missão para o Afeganistão! Votemos Domingo com cabeça e as mãos! Camus

  5. anónimo

    Numa Democracia, e em “crise”, deve-se dividir o mal pelas Aldeias, e como as “sondagens” já dão muitos votos só a um, eu, como Democrata, vou entregar o meu àqueles que menos têm. Vá votar, mas vá mesmo e entregue o seu voto aos mais pobres.

  6. Elise

    Gostei do que disse o Camus. Este trono que dura há já longos cinco anos é um trono ferrujento, bafiento, sem cor e apoiado em homens tenebrosos de bancos que nos estão sugando a pele. São milhões de milhões e apesar de tudo pretendem todos passar por virgens impolutas ? Bard……..! Domingo lá irei colocar o meu voto contra o amigo dos banqueiros que nos sugam o tetano.

  7. Bali

    Vale a pena reflectir sobre o que dizem blogs como este:
    Estas são algumas das questões enviadas a Cavaco Silva, para Belém e para a sua direção de campanha.

    – Pode o senhor Presidente da República confirmar que adquiriu a propriedade do atual lote 18 da Urbanização da Coelha (Sesmarias, Albufeira) à empresa Constralmada?

    – Essa transação foi feita através de uma permuta de terrenos? – Por que valores foram avaliados os terrenos que adquiriu, e os que cedeu?

    – Recorda-se do ano em que foi feita a escritura pública desta transação?

    – Tinha conhecimento que a referida empresa, a Constralmada, era detida pela Opi-92, empresa de que eram acionista o Dr. Fernando Fantasia?

    – Quem lhe propôs a permuta?

    – Recorda-se do cartório notarial onde foi firmada a escritura pública desta transação?» [Visão]

    Parecer:

    Ai se fosse o Sócrates a fazer este tipo de negócios…

    Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Confirme-se no registo civil se em Portugal já nasceu alguém duas vezes.»
    Extraído de um blog de nome Jumento. Afinal ainda há quem faça alguma frente aos jornais ao serviço dos banqueiros.

  8. Tina Litz

    Pergunto ao vento que passa
    Notícias do meu País
    O vento cala a desgraça
    Cavaco nada me diz!

    Mas há sempre uma candeia
    Dentro da própria desgraça
    Cavaco tudo incendeia
    Na Democracia que passa!

  9. E pronto, o Sr. Silva lá ganhou sem merecer!
    Foi empossado à Primeira Volta, com a pior votação de sempre, na eleição de um Presidente… Mas vai assumir o cargo como manda a democracia.
    A vencedora foi a Abstenção, por ser anónima e não ter apresentado candidato, facilitou, tal como as candidaturas residuais, quase do mesmo espaço político, fizeram o favor de facilitar a vitória de Cavaco Silva.
    O Reeleito presidente representa agora muito menos portugueses e ficou muito mais debilitado, politicamente, que antes.
    O Governo e o Primeiro Ministro também perderam clamorosamente por via da triste votação do candidato que apoiou…
    Resta esperar a modéstia na leitura dos resultados por parte do Sr. Silva e que tal leitura o aconselhe a não fazer sabotagem ao Governo com legitimidade para prosseguir a sua tarefa e arrefeça as ambições golpistas de Passos Coelho e seu partido laranja… Pois não “surgiu nenhuma onda”, ficou tudo na mesma e a retoma económica é o desafio. Como diz o Sr. Silva, as Eleições são muito caras para o País e a antecipação das Legislativas seria dramática para a Economia de Portugal… Tenham juízo, entendam-se e ponham o País a produzir!

  10. O senhor professor é perito em virar a realidade ao contrário. A realidade é uma porra chata. Espere para ver o que aí vem!
    Abraços
    João Martins

  11. João; saudo os belos textos que tens escrito.
    Mas, diferenças consideradas, não vejo como, nesta minha análise, possível como as outras, estarei a virar a realidade ao contrário… Haverá nela algum facto não demonstrado?
    Abraço

  12. Boas,

    Não é o governo e o primeiro ministro que perderam também por via da triste votação do candidato que apoiou. O candidato é que perdeu com uma triste votação por ter sido apoiado por este governo e o primeiro ministro. É uma pequena diferença…

    Abraços e boas postagens
    João Martins

  13. Dr. Millord

    Penso que o Sr. João Martins quando se refere ao Professor é ao Professor Cavaco e não ao Professor Almeida. Estarei errado? Saúdo daqui todos os que votaram contra a mediocridade apesar de estarem sózinhos contra um gigante de arame construído pela comunicação social. Fiquei muito satisfeito não pela vitória do homem mas por ter votado contra ele e contra tudo de reaccionário que ele representa. Millord

  14. anónimo

    Não devo de meter foice em seara alheia, não deixo de estar de acordo, nem o Sr. J. Martins necessita de quem o defenda, mas caro professor, pelas suas últimas palavras, lembro-lhe que eles já se entendem há muito, só não puseram o País a produzir porque outros interesses se levantam, não tarda que o PEC 6, 7, 8, nos bata à porta e muitas outras coisas que hão-de vir. Ainda alguém me há-de explicar com “verdade” o que se passou com o cartão do cidadão, deve ter sido o resultado do simplex, ou as vigarices à moda do terceiro mundo, digo eu como leigo na matéria.

  15. Mike

    O cartão Simplex agora dá para uma série de desculpas durante umas semanas. Que é isto que é aquilo, que somos do 4º mundo. Como é que o outro não havia de ganhar? Com pessoal deste até podia ter 90% que eu não me admirava.

  16. Mike

    O Cavaco rancoroso e vingativo que apareceu a dar início à sua última fase como político é a manifestação de um homem doente. Está doente de solidão, ao ponto de ter estilhaçado o respeito próprio. À sua volta só vê inimigos, e nem no actual PSD pode confiar. Lido no Blog “Aspirina B”. Ainda há por aí uns tipos que vão acertando. Mike

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s