Falemos do Largo!


Falemos daquilo que lhe fizeram e também daquilo que se preparam para lhe fazer (5 anos depois!!!!)…

No domingo passado um grupo de louletanos, devidamente identificados e reciprocamente conhecidos, no Facebook, falaram do Largo de São Francisco…

Afinal é mais fácil juntar gente e discutir um assunto, cada qual em sua casa, que fazer uma reunião em sítio estranho!

Bastou que o Raiado lançasse o mote para que as opiniões aparecessem umas-após-outras, o que prova que ainda há quem sinta a terra e o espaço público:

«… Reponham o Jardim de São Francisco como ele era dantes; um local coberto de verde por passeios serpenteado, bancos à sombra, sem tapetes de pedra expostos ao calor tórrido do Verão e obrigatóriamente, sem aquela estúpida e ensurdecedora fonte que, contráriamente ao que se pretendia, só causa dores de cabeça e stress aos que por lá passam e habitam.(excerto)»

Acolheremos todas as opiniões e dar-lhes-emos divulgação, a bem do respeito pela memória e da qualidade urbana, será um contributo desinteressado à equipa técnica.Talvez, quem sabe?, iremos a tempo de evitar outro grave erro como aquele que agora se pretende corrigir.

10 comentários

Filed under Blogosfera, Cidadania, Loulé, Opinião, Património, S. Sebastião, ssebastiao

10 responses to “Falemos do Largo!

  1. Não há memória, em Loulé, de investimento público tão ruinoso como esta “requalificação”, retirada à pressa da gaveta onde o projecto fora metido, por falta de ideias próprias dos governantes eleitos!
    Em Loulé o termo “requalificação” significa gasto excessivo, prejuízo para o comércio e redução da qualidade do espaço público, por via de regra, assim tem sido. Contudo o caso do Largo de São Francisco é o campeão da asneira!
    Por tão gravosa ter sido, não pode a Culpa morrer solteira!

  2. Luis Furtado

    Viva Almeida; não é por esse jardim ter sido o palco da minha meninice em tantas horas de brincadeira e lazer, também não é por saudosismo. Olhando as duas fotos, sou de opinião que reponham o jardim como estava. A de cima, não passa de um autêntico mamarracho, a de baixo mostra-nos um largo harmonioso, atrevendo-me mesmo a dizer, que é uma, (neste caso), “obra de arte” em jardinagem.
    Sabes Almeida, hoje a mediocridade, prevalece sobre o bom senso e o bom gosto, é o “mal de quem manda”, o que muito me entristece.
    Este ano não vou estar aí pelo Carnaval, não me perguntes porquê porque não sei responder. Cumprimentos.

  3. Palma

    Sempre me interroguei porque foi posto em prática este projecto quando poderiam ter tentado outros. Estava à vista que a maioria das pessoas não se reviam no novo jardim de S. Francisco. E tinha sido simples, na minha modesta madeira de ver. Bastava embelezá-lo mas mantendo-o como todos nós o conhecemos. Tenho ouvido chamar ao actual jardim muita coisa que aqui não posso dizer, tal a qualidade dos comentários. Pelo que se vê, o novo projecto não restitui ao Largo o seu antigo e muito amado Jardim.
    Mas é sempre tempo de reconhecer erros. Palma

  4. Giga

    Aprovo totalmente as palavras do Luis Furtado, homem de artes e com sensibilidade à flor da pele. Um louletano que está magoado pelo que se depreende do seu comentário. Mais palavras para quê? Giga

  5. K Sousa

    Lembro-me perfeitamente de ter lido num jornal concelhio que o Dr. Seruca dizia que com o Jardim de S. Francisco começava a modernização de Loulé.
    Aquilo é mesmo modernização? K. Sousa

  6. J.Leo

    Por favor espero que não ponham uma sementeira de candeeiros como os da Praça da República que venha a gente de que lado vier só vê postes de candeeiros de auto-estrada. Um horror de paisagem. Será que ninguém viu isso ? Será que só umas quantas almas já deram por aquela coisa feia ? J. Leo

    • hugo

      Se tem boa memória há-de lembrar-se do tamanho que as árvores que ali estavam atingiam, pois bem, acredite que daqui a uns anos não dá pelos candeeiros que de auto estrada não têm nada na minha opinião! Bem pior são aquelas baias ali plantadas…

  7. Josef

    Já tinha tentado tirar umas fotos à Praça da República mas na verdade aqueles postes de iluminação modernaços à sueca tiram a beleza às fotos. Num tempo em que se tentam disfarçá-los na paisagem, aqui, ficam bem à vista, como se fossemos todos uma cambada de pategos. Desculpem o desabafo mas é o que sinto. Josef

    • hugo

      Mais uma vez digo, agora porque as árvores (a tal paisagem de que fala) são pequenas, se se lembrar do tamanho que elas atingem vai ter a perfeita ideia e noção de que os candeeiros enquadram-se.. mas lá, está uns gostam outros não… Mas fazer uma obra e depois “plantar” baias. É mesmo fantástico!

  8. Joana Til

    Era à antiga mas era bonito o Jardim de S. Francisco. Não sou contra o modernismo. Que se faça de raiz em lugares onde não existe nada. Mas nos espaços antigos tenham dó da gente. Respeitem o traçado antigo. Porque é que a gente quando sai vamos visitar as cidades mas as partes antigas? Porque as modernas são na maioria das vezes impessoais e iguais em todo o lado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s